Sexta-feira, 30 de Abril de 2010

Diz a tradição que os gatos têm sete vidas. A rotina de um gato é basicamente sempre a mesma: comer, dormir, xonar... Para quê sete vidas a fazer o mesmo? Parece um desperdício de tempo. 

Se fossem os humanos a ter sete vidas, ainda se podia entender. Teríamos oportunidade para corrigir os erros. E como ninguém escapa de os fazer, muitos teríamos para emendar. Assim, lá andam os gatos pelo mundo a viver as suas vidas. A comer, a dormir, a xonar... Como a minha querida Xana!

manela


tags:

publicado por Naçao Valente às 20:43 | link do post | comentar | favorito

Quarta-feira, 28 de Abril de 2010

O meu avô criava coelhos. Tinha orgulho em viver do que a terra lhe dava. Quando lá ia de férias, já sabia que podia contar com almoço de coelho caseiro guisado. Confesso que na altura não sabia dar o valor àqueles coelhos, tenros e gostosos, alimentados a couves e farelos. Foi  só muito mais tarde que percebi quão diferentes eram aquelas carnes das compradas no talho.

Mas como o tempo não volta atrás, hoje se quero coelho, tenho de me conformar com a prateleira de supermercado. Só que não o consigo fazer guisado. Tornou-se tabu na minha cozinha. Por isso resolvi experimentar assar a carne e até que correu razoavelmente.

Barre 4 pernas de coelho com massa de pimentão misturada com vinho da Madeira, tomilho e um pouco de pasta de alho. Deixe descansar algumas horas. Quando for altura de levar ao forno, cubra com tiras de bacon, regue com um pouco de azeite, tape o fundo do tabuleiro com água e deixe cozer até a carne estar tenra. Conte com pelo menos 1 hora de assadura e tenha cuidado com a temperatura do forno, para não queimar a carne. Sirva com salada e batatas assadas no forno com alecrim.

manela



publicado por Naçao Valente às 22:00 | link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 27 de Abril de 2010

Mais um trabalho saído do baú. Ponto cruz numa só cor: o meu tipo de bordado preferido!

Juntei-lhe uma gata: em honra da Xana...

manela



publicado por Naçao Valente às 14:42 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 26 de Abril de 2010

O café é umas minhas paixões. Esta receita é uma variação da torta de iogurte, mas com café. Batem-se 8 ovos com 250 g de açúcar, 1 colher de sopa bem cheia de farinha maizena, 2 colheres de sopa de margarina derretida (ou líquida), 1 colher de sopa rasa de café solúvel, 1 colher sopa de vinho do Porto e 2 iogurtes naturais. A mistura coze em tabuleiro forrado com papel vegetal untado de margarina. Coze cerca de 10 ou 15 minutos. Verifique a cozedura com um palito e evite deixar cozer demais. Depois de cozida desenforme em cima de papel vegetal, bem polvilhado de açúcar, enrole ainda quente e depois de arrefecer um pouco leve ao frigorífico. Sirva fria com um licor, por exemplo de caroço de nêspera.

manela



publicado por Naçao Valente às 16:00 | link do post | comentar | favorito

Domingo, 25 de Abril de 2010

Os Homens nascem livres e iguais. A procura de liberdade guia os nossos actos e é o motor de muitas das nossas convicções. Está escrita em muitas leis e por ela já muitos morreram. Têmo-la como certa e garantida, mas há 36 anos era apenas uma hipótese teórica. Desde então muito se tem discutido sobre os seus limites e consequências. Diz-se que a liberdade individual não pode ultrapassar os direitos da sociedade. Pois é, temos liberdade, mas às vezes não sabemos o que fazer com ela...

manela


tags:

publicado por Naçao Valente às 19:48 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 24 de Abril de 2010

Todos temos segredos. Alguns carregamo-los como se fossem cruzes de chumbo. Outros são plumas que nos cocegam a língua, pedindo liberdade. Alguns estão escondidos em fundas gavetas. Outros vivem atrás de fechaduras de sete chaves. Alguns fazem doer a alma. Outros fazem-nos rir, de tão rídiculos que são.

Todos temos segredos. Uns bons, outros maus. Uns curam, outros matam. Mas talvez o melhor seja continuar a guardá-los... 

manela


tags:

publicado por Naçao Valente às 09:26 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 23 de Abril de 2010

Na minha rua, a Primavera enche-se de aves.  Principalmente de andorinhas que procuram um beiral para fazer ninho. Fazem voos picados, enchem o ar de movimento e som. Mas o chão por baixo dos ninhos... isso já é outra coisa. Digamos que não há planta que resista a ter uma andorinha como vizinha do andar de cima.

Há uns anos, a voz do povo dizia que pôr andorinhas de barro na parede, afugentava as aves. Acho que elas já perceberam o truque e não se deixam enganar...

Mas ainda bem  que Rafael Bordalo Pinheiro se lembrou de criar esse objecto, a andorinha de cerâmica, que se tornou num icone português. Já agora, aproveite para conhecer o jardim Bordalo Pinheiro, aberto no Museu da Cidade de Lisboa, segundo projecto de Joana Vasconcelos.

manela



publicado por Naçao Valente às 07:42 | link do post | comentar | favorito

Terça-feira, 20 de Abril de 2010

As borboletas são criaturas fascinantes. Em Lisboa existe até um borboletário no Jardim Botânico. Mas também pode promover a presença de borboletas no seu jardim, através do cultivo de plantas adequadas.

Símbolos da alma e do renascer, serviram de inspiração para um poema de Alberto Caeiro, Passa uma Borboleta por Diante de Mim

 

Passa uma borboleta por diante de mim
E pela primeira vez no Universo eu reparo
Que as borboletas não têm cor nem movimento,
Assim como as flores não têm perfume nem cor.
A cor é que tem cor nas asas da borboleta,
No movimento da borboleta o movimento é que se move,
O perfume é que tem perfume no perfume da flor.
A borboleta é apenas borboleta
E a flor é apenas flor.

manela



publicado por Naçao Valente às 18:26 | link do post | comentar | favorito

Domingo, 18 de Abril de 2010

O arroz de cabidela é daqueles pratos que associo a meninice e almoços de família. Vá-se lá saber porquê, aquilo parecia-me uma mistela incomestível. Até que provei em Monção, um arroz de pica no chão. Reconciliei-me com as imagens e aromas da infância. Não é propriamente um prato para o dia-a-dia. Até pelo trabalho que dá... Mas é uma sugestão par um almoço domingueiro. Daqueles em que há tempo para estar de volta do tacho.

Hoje jé é fácil encontrar nas grandes superfícies, frango preparado para este tipo de arroz, incluindo o sangue.

Aqui lhe deixo o link para esta receita que pertence ao património gastronómico do Minho.



publicado por Naçao Valente às 18:25 | link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Sábado, 17 de Abril de 2010

O Tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem, o Tempo respondeu ao tempo que o tempo tem tanto tempo quanto tempo, tempo tem.

É só um destrava-línguas. Mas todos nos queixamos da falta de tempo. E afinal, para onde vai esse tempo que sentimos perdido? Talvez ele nunca tenha existido. Talvez sejamos demasiado ambiciosos no que lhe pedimos. Os projectos que esperam vez, são muitos. Alguma vez os farei todos? Duvido... Será a culpa só do tempo, ou minha, porque sonhei demais?

manela



publicado por Naçao Valente às 11:41 | link do post | comentar | favorito

Espaço de Manuela B e dos seus trabalhos
mais sobre mim
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
28
29
30


posts recentes

Renda com pano bordado

Caixa

Bordado com renda

Outono?

Viagens gastronómicas - ...

Mar revolto

Doce de melão e amêndoa

Regresso ao passado

Vida doce

O pão

arquivos

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Setembro 2009

Agosto 2009

tags

a guerra das rosas

abril

açorda de gambas

adeptos

agatha christie

alberto caeiro

alcobaça

alentejo

alfazema

alfineteiro

andorinhas

anjos

arroz de pica no chão

arroz de sangueira

arte contemporânea

autoridade

avó

bacalhau

bandolim

barro pintado

batatas com chouriço

beverly shipko

bolinhos de gema

bolo de chocolate

bolo de chocolate e iogurte

bolo de limão

bolo de maçã

borboletário

borboletas

bordado

bordados

café

cafés

caixa

camané

camões

carving

cataplana

cataplana de corvina

celia pike

chá

chá e cultura

chefe silva

chitas

choquinhos com coentros

chuva. gene kelly

coats e clark

coelho assado

coelho com tomilho

compotas

crochet

crochet. internet

decoração de mesa

decoração de pratos

decoupage

decoupage em vidro

deus

dia de reis

digital scrap

doce de abóbora com amêndoa

doce de amora e pêssego

doce de ananás com gengibre

doce de melão e amêndoa

doce de melão e pêssego

doce de pera e uvas

doce de uvas com pêssego

embrulhos

enterro do entrudo

esparguetada de frango e orégãos

especulação

fábricas de alunos

fado

felicidade

filet

flores

frango

fred astaire

gargalhada

gatos

ghiaroni

govaert camphuysen

grão

ilustrações botânicas

internet

joana vasconcelos

lenços dos namorados

natal

páscoa

ponta de crochet

ponto cruz

primavera

projectos

provérbios

quadros com renda

quaresma

receitas

receitas de verão

renato parolin

rosas

viagens

todas as tags

favoritos

Pessoa, oitenta anos depo...

Estou na lua

Um país sem população

CONCURSO: GATO DE OURO 20...

A gata tem sete vidas...

Como eram duros os trabal...

links
participar

participe neste blog

contador

contador
links
blogs SAPO
subscrever feeds